O mundo das empresas e comunidades tradicionais no Pantanal: problemas distintos soluções semelhantes

O mundo das empresas e comunidades tradicionais no Pantanal: problemas distintos soluções semelhantes

por Rafael Morais Chiaravalloti e Claudio Valladares Pádua Pantaneiros e empresários são pessoas muito diferentes. Talvez ambos se encontrem em alguma pescaria nas férias de julho no meio do Rio Paraguai, em que a canoa de um cruza o barco no outro. Até agora, provavelmente, a comunicação tem se resumido a um aceno de mão. No entanto, as novas teorias econômicas e sociais, têm mostrado que uma pequena conversa entre os dois poderia ajudar os visitantes do Pantanal a revolucionarem o mundo dos negócios. Basicamente, Continue lendo

Ciência: Por que divulgar?

Ciência: Por que divulgar?

Fonte: Nature Jobs Todos os dias são publicados milhares de novos artigos científicos em periódicos especializados. Todos os dias, novas dissertações e teses são depositadas em bibliotecas de todo o mundo. Atualmente produzimos uma quantidade enorme de conhecimento científico, como nunca foi produzido antes. Todos os dias utilizamos uma infinidade de produtos derivados do conhecimento científico. Quais coisas? Você pode perguntar. Celular, televisão, computador, veículos, combustível, alimentos, energia, remédios, vacinas etc. Poderia ficar o resto do dia listando, mas você já entendeu. Vivemos em uma Continue lendo

Como salvar o meio ambiente? Regras ou não ?

Como salvar o meio ambiente? Regras ou não ?

Responder em duas palavras como salvar o meio ambiente aparentemente seja tarefa impossível. No entanto, a ONU e outras agências globais parecem ter a resposta: posse da terra. Há um investimento pesado ao redor do mundo. Apenas no Afeganistão, foram investidos 53 milhões pela Agencia Americana de Desenvolvimento (USAid) entre 2004 e 2009 nessa campanha. A ideia é simples, e se baseia em duas teorias já bem estabelecidas. A primeira vem da teoria da tragédia dos comuns, do famigerado ecologista Garret Hardin. Imagine um rio Continue lendo

O IV Simpósio Brasileiro de Biologia da Conservação

O IV Simpósio Brasileiro de Biologia da Conservação

O IV Simpósio Brasileiro de Biologia da Conservação (IV SBBC) será sediado em Belo Horizonte/MG, no Campus Pampulha da UFMG. O evento ocorrerá entre 3 e 7 de dezembro de 2017, e está sendo organizado pela Bocaina Biologia da Conservação e pela Pós-graduação em Ecologia, Conservação e Manejo da Vida Silvestre – ECMVS (UFMG), em parceria com a Pós-graduação em Biologia Vegetal – PPGBV (UFMG) e com a Pós-graduação em Zoologia (UFMG), além de outras instituições como o Instituto Prístino e o Instituto Biotrópicos. O Continue lendo

Começa hoje o 3º Workshop do Programa R para Biologia da Conservação

Começa hoje o 3º Workshop do Programa R para Biologia da Conservação

Começou hoje o 3º Workshop do Programa R para Biologia da Conservação, com o Prof. Marcos Vital. O evento online é fruto da parceria entre a ESCAS – Escola Superior de Conservação Ambiental e Sustentabilidade  e a Bocaina Biologia da Conservação. No curso, o Prof. Marcos Vital indica os caminhos mais simples para que o aluno possa  dominar as principais Análises Bioestatísticas usando o Software R. O workshop é gratuito e acontece de 21 de setembro a 1 de outubro. Para se inscrever, basta acessar o site: Continue lendo

Sangue, suor, lágrimas… e números! Fazendo seu esforço de coletar dados valer a pena

Sangue, suor, lágrimas… e números! Fazendo seu esforço de coletar dados valer a pena

Título dramático, não é? Mas a vida de um biólogo lato sensu* é mesmo muitas vezes cheia de drama e dificuldades. Pode ser aquele projeto de campo onde você bem literalmente sua, chora e sangra para coletar os dados da melhor maneira possível… Ou aquele trabalhão de laboratório que te exigiu horas e horas de sono perdidas e feriados sem descanso… Quase qualquer cientista em formação (ou já formado!) passa por isso com alguma frequência — coleta dados com afinco e dedicação. E depois de Continue lendo

Regeneração Florestal: Deu no New York Times

Regeneração Florestal: Deu no New York Times

Adaptado do Site do IPÊ: As florestas tropicais contêm mais de metade de todas as espécies de plantas e animais do mundo. Porém, são as que mais perdem biodiversidade, devido à redução de habitat e degradação florestal. Muitas dessas espécies da fauna e da flora tropicais mais ameaçadas estão restritas a somente cerca de 20 locais, em áreas dos trópicos, que já perderam mais de 70% do habitat original. Regeneração florestal Uma das metodologias para conter a extinção de espécies é a regeneração florestal conectando Continue lendo

IPÊ é uma das melhores ONGs para se doar

IPÊ é uma das melhores ONGs para se doar

Adaptado do site do IPÊ: O IPÊ – Instituto de Pesquisas Ecológicas foi escolhido como uma das 100 melhores ONGs para se doar. Esta foi uma premiação do Instituto Doar em parceria com a Revista Época. O resultado foi apresentado no dia 7 de agosto, em evento em São Paulo, com a participação de todas as organizações eleitas. Ao todo, 1,5 mil organizações da sociedade civil inscreveram-se no prêmio. Uma parcela pequena no contexto das organizações sociais brasileiras, que são mais de 300 mil. O Continue lendo

IPÊ e ESCAS na Virada Sustentável São Paulo 2017

IPÊ e ESCAS na Virada Sustentável São Paulo 2017

Durante a Virada Sustentável 2017 de São Paulo, o IPÊ e a sua escola ESCAS realizarão o evento “Conservação da Biodiversidade: um ótimo negócio”. O encontro será composto por três palestras de pesquisadores e mestres em conservação, seguidas de um debate sobre como produções podem ser lucrativas economicamente e benéficas à biodiversidade, se feitas de maneira sustentável e protegendo os serviços ecossistêmicos. As palestras vão trazer dados atualizados sobre temas relevantes para quem se preocupa com o consumo mais consciente, que gere cada vez menos Continue lendo

Quando o errado “dá certo” ou Dinheiro não é tudo na vida

Quando o errado “dá certo” ou Dinheiro não é tudo na vida

Há uma semana, publiquei um artigo científico na revista Journal of Fisheries Management and Ecology. No entanto, o artigo saiu complemente diferente do que eu imaginava quando comecei a pesquisa. Ele simplesmente deu um resultado oposto daquilo que eu previa. Embora no começo acreditasse que iria ser excomungado pela minha orientadora, hoje eu vejo que o resultado negativo se tornou algo muito mais interessante. Ou seja, agradeço aos Deuses da Ciência por a minha pesquisa ter dado errado. Eu faço a minha pesquisa no Pantanal, Continue lendo