A incrível história do cientista que salvou milhões de pessoas

John Snow, nascido na Inglaterra em 1813, estudou medicina e, ainda na juventude, tornou-se um grande adepto de uma vida saudável. Praticava exercícios regularmente, tinha hábitos vegetarianos e engajou-se na causa da abstinência alcoólica. As suas opiniões sobre a ingestão de álcool eram tão fortes que ele não somente juntou-se às fileiras de pregadores da abstinência alcoólica total, como também se tornou um poderoso defensor e divulgador dos seus princípios. No entanto, no fim da vida, já famoso e sendo considerado um dos grandes gênios da ciência – principalmente da medicina –, dava-se ao luxo de burlar os seus princípios e beber alguns copos de vinho. Como se diz, as normas apenas existem pelo prazer de burlá-las de vez em quando.

As recaídas aos prazeres do vinho do Dr. John Snow não estão relacionadas com as suas descobertas. Ela só foi citada neste texto para dizer que todos, grandes gênios ou não, também podem, pontualmente, mudar suas escolhas. Muitas vezes, as escolhas que fazemos para nossa vida podem, por uma combinação de fatores, ser momentaneamente mudadas, e, se ainda seguirmos uma ética nessas novas escolhas, não será algo que irá denegrir a personalidade. Como o Dr. Snow, que, após descobrir que o cólera era transmitido pela água em um período histórico em que a maioria dos cientistas acreditava que as doenças estavam relacionadas à má qualidade do ar, conseguindo interromper uma epidemia que já havia matado, apenas no ano de 1854, mais de 5 mil pessoas na cidade de Londres, comemorou com um copo de vinho, apesar de ser contra tal tipo de festividade.

O cólera é uma grave doença causada por uma bactéria que, quando ingerida, se multiplica rapidamente no intestino humano, produzindo uma potente toxina que provoca diarreia intensa. Se não tratada, ela pode causar a morte, e como é uma doença característica de locais pobres e sem assistência médica, é o que normalmente acontece.

Existem registros de cólera desde 1769, quando foi detectado na Índia. A partir do começo do século XIX, os registros começaram a aparecer em outras partes da Ásia e, em 1848, foi registrado o primeiro caso de cólera em Londres. Desde o surgimento da doença na Inglaterra, John Snow procurou entender o contexto dos locais em que ela ocorria.

Como uma primeira evidência, notou que o cólera era transmitido entre pessoas próximas e, principalmente, para aquelas pessoas que estavam cuidando de enfermos. Também verificou que, pela presença de forte diarreia nos doentes, os lençóis das camas poderiam conter material contaminante, pois também notou uma relação entre as pessoas que trocavam a roupa de cama de enfermos e posterior contaminação por cólera. Com algumas outras evidências, concluiu que o ciclo de contaminação da cólera era: a diarreia do paciente, o contato desse material com outra pessoa e a ingestão ocasional desse material.

Quando os primeiros casos de morte decorrentes do cólera começaram a acontecer em Londres, em 1854, John Snow foi verificar as casas em que as pessoas haviam morrido. No entanto, o cenário encontrado era um pouco diferente daquilo que ele havia estudado até aquele momento, pois pessoas que não tinham tido contato direto haviam morrido em um mesmo intervalo de tempo.

A epidemia em Londres estava no seu auge quando Dr. Snow percebeu que os casos de cólera aconteciam em regiões específicas, e o que os unia era a utilização de algumas bombas de abastecimento de água. Verificando localmente essas bombas, notou que o esgoto estava sendo misturado à água potável. Ou seja, os dejetos de uma pessoa com cólera eram depositados no esgoto da cidade e, em alguns locais, esse esgoto era misturado com água potável e as pessoas que bebiam dessa água eram contaminadas por cólera. Comparando em um mapa da cidade os casos de cólera e os locais das bombas de água, Dr. Snow pôde comprovar claramente a sua suspeita. Ali estava feita a primeira análise preventiva e a comprovação de que muitas doenças eram transmitidas por agentes patogênicos como vírus, bactérias, fungos etc. Uma descoberta que revolucionou toda a medicina moderna, assim como chamou a atenção para a contaminação de água potável por dejetos humanos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.