Aprendendo com a Natureza

Perguntamos um tempo atrás para algumas crianças e professores de Teodoro Sampaio, no Pontal do Paranapanema (SP), sobre quais as espécies de animais que eles consideram mais carismáticas de nossas matas, e, se não todos, uma grande maioria nos respondeu: ‘o mico-leão-preto, a onça-pintada e a anta!’

 

…O que encheu meus olhos e meu coração de alegria, pois são as “espécies guarda-chuva” que há anos nos inspiram — institucional e pessoalmente — a buscar apoio comunitário e recursos financeiros para a execução de ações coletivas que incentivem a conservação socioambiental na região, e garantam que estas e outras espécies possam existir na natureza local,  ainda por muitos e muitos anos!

 

Me senti feliz também porque são espécies nativas da biodiversidade local que, mesmo sem que estes alunos e professores jamais tenham visto delas um exemplar ao vivo sequer, seja na natureza ou, muito mais difícil, em zoológicos — pois não dispomos destes espaços de aprendizagem ambiental em nossa região — estas espécies conseguiram chegar e conquistar um lugar nos corações dessas pessoas, o que é mais fascinante ainda! Este percurso da floresta ao coração é um dos propósitos da educação socioambiental.

 

Digo isso pois, uma vez que percebemos o outro e incorporamos algo para dentro de nós, nossa relação com estes se torna diferente, envolve significados de valores (sentimentos de afeto e amor) e atitudes de cuidados!

 

Como já dizia um trecho da música, se não me engano, de um cantor conhecido por Peninha (não o primo do Pato Donald, é outro Peninha, que não é dos gibis): “…quando a gente ama, é claro que a gente cuida…” !

 

É a educação socioambiental realizada junto a muitas mãos aqui no Pontal do Paranapanema que proporciona às crianças e aos professores a oportunidade de serem convidados, a percorrerem “o caminho da floresta para a escola, ou o da escola para a floresta”. Isso lhes permite ver (inclusive, com os olhos do coração), sentir e apreciar o lindo, o significativo e o abrigado pelas matas e pelos rios que circundam suas salas de aulas, outros seres que se relacionam com suas próprias vidas.

 

Nas relações trocadas entre si,  professores e alunos aprendem a amar e a valorizar todas as outras formas de vida percebidas em seu entorno. É assim que aprendemos com a natureza! Chegando-se a ela e permitindo a ela chegar até nós!!

 

Nos falamos na semana que vem! Preciso ir… acabei de saber, neste instante, que nasceu um filhote de mico-leão-preto. Estou muito feliz com isso, e preciso, urgente, de saber disso com o meu coração bem pertinho!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *