IPÊ lança o Atlas do Sistema Cantareira: Baixe o PDF

O IPÊ – Instituto de Pesquisas Ecológicas acaba de lançar o Atlas do Sistema Cantareira. A publicação sintetiza os resultados de muitos anos da atuação do Instituto na região de influência do Sistema Cantareira. Destaca-se a criação de um banco com informações geoespaciais com mapas de alta resolução sobre o uso do solo, a hidrografia, o relevo e os remanescentes de Mata Atlântica.

Atlas do Sistema Cantareira
Lançado pelo IPÊ, o Atlas do Sistema Cantareira teve participação de mestrandos da ESCAS. A publicação é resultado da disciplina Resolução de Desafios, um dos diferenciais do Mestrado Profissional da Escola Superior de Conservação Ambiental e Sustentabilidade.

A produção dos dados e ideias originais do Atlas se desenvolveu no contexto de dois projetos do IPÊ. O Projeto Embaúba: recuperação de áreas degradadas no corredor Cantareira-Mantiqueira recebeu o apoio do FUNBIO, e o projeto Semeando Água foi patrocinado pela Petrobras, por meio do Programa Petrobras Socioambiental.

Após a fase inicial de coleta de dados e tratamento das informações, que foram convertidas em mapas, a produção dos textos se deu através do braço de educação do IPÊ, a ESCAS – Escola Superior de Conservação Ambiental e Sustentabilidade. Parte dos textos foi produzida por alunos de duas turmas em uma disciplina do Mestrado Profissional da Escola, intitulada Resolução de Desafios. Para isto, contaram com a contribuição de professores e pesquisadores do IPÊ.

“Foi um trabalho escrito a várias mãos, o que o enriquece ainda mais.  O Atlas traz o apelo único da transformação dessa região ímpar, que tem sua importância justificada por inúmeros atributos relacionados à cultura do seu povo, à riqueza de sua fauna e flora, e à abundância dos recursos naturais”, afirma Alexandre Uezu, pesquisador do IPÊ e um dos professores da disciplina.

IPÊ e Sistema Cantareira

Uma das organizações mais atuantes no cenário do Sistema Cantareira, o IPÊ tem como foco de atuação a proteção dos recursos hídricos em municípios que influenciam a qualidade da água no sistema. Ações como combate a erosão e produções sustentáveis junto com produtores rurais, reflorestamento e educação ambiental estão no escopo deste trabalho.

O Atlas traz informações relevantes dentro deste contexto. O documento inclui áreas prioritárias para conservação e restauração; áreas mais vulneráveis a processos erosivos; e áreas com maiores passivos ambientais, relacionados à ausência de APPs — Áreas de Preservação Permanente. A publicação contém ainda informações socieconômicas das populações dos 12 municípios que compõem o Sistema Cantareira. Esta compilação foi feita a partir de levantamentos de campo e de dados secundários.

“Acreditamos que esse trabalho será especialmente útil para o planejamento futuro dessa região, fornecendo as bases para criarmos os melhores cenários, que aliem a conservação da biodiversidade com o desenvolvimento sustentável, permitindo ao mesmo tempo a manutenção dos serviços ecossistêmicos e a produção responsável no meio rural”, complementa Alexandre.

O Sistema Cantareira tem hoje um déficit de 35 milhões de árvores, de acordo com dados do IPÊ. As árvores são um dos caminhos mais importantes para a conquista da segurança hídrica na região. Aqui, 60% das APPs, que por lei deveriam ser florestas, estão tomadas por eucaliptais ou pastos.

O Instituto é responsável pelo plantio de 300 mil árvores em áreas de mananciais. Um passo importante para a conservação local, mas ainda insuficiente perto da necessidade. Além disso, o IPÊ testou e aprovou modelos de manejo de pastagem ecológica. Tais métodos trazem benefícios para a água e para a produção rural, e mostram que conservação e produção podem caminhar em conjunto.

A produção do Atlas

Alexandre Uezu gravou uma entrevista em que conta como foi feito este trabalho. O Atlas reúne o conhecimento atual sobre os serviços ambientais do Sistema Cantareira:

Atlas do Sistema Cantareira (PDF)

 

O material em PDF está disponível para qualquer interessado, gratuitamente, no link acima. A versão impressa será distribuída sem custo para tomadores de decisão locais e proprietários rurais interessados nos dados.

Sobre a ESCAS

A ESCAS é uma iniciativa do IPÊ em parceria com Instituto Arapyaú. Sua missão é formar profissionais que desenvolvam, implementem e propaguem inovações nas áreas de conservação e sustentabilidade.

A Escola oferece os cursos de Mestrado Profissional em Conservação da Biodiversidade e Desenvolvimento Sustentável (em Nazaré Paulista/SP e Uruçuca/BA), MBA em Gestão de Negócios Socioambientais (Nazaré Paulista/SP), cursos de curta duração (em Nazaré Paulista/SP e in company), além de programas de estudos online. Os cursos são multidisciplinares, abertos a profissionais de diversas áreas do conhecimento que querem se desenvolver para alcançar resultados na área ambiental.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *