Clinton Jenkins

Professor e coordenador de pesquisa no IPÊ, onde estuda conservação de biodiversidade e esforços para reduzir o desmatamento tropical. Doutor em Ecologia pela Universidade do Tennessee (EUA), com ampla experiência na pesquisa em conservação. Especialista no uso de tecnologias de análises espaciais e sensoriamento remoto para responder a questões de conservação e identificação de prioridades de ação. Sua pesquisa já o levou à Mata Atlântica brasileira, aos Everglades da Florida, ao sudoeste da China, à América Central e à Amazônia. Em cada um desses locais, pressões de desenvolvimento ameaçam levar espécies à extinção. Identificar interseções entre essas ameaças e os centros de biodiversidade ajuda a direcionar os esforços de conservação a locais para salvar espécies de forma mais eficiente. Ao longos dos anos, tem ajudado a treinar centenas de profissionais em SIG aplicado à conservação. Atualmente é Vice-Presidente da organização SavingSpecies.

Cadê as salamandras? Uma história do mapeamento de biodiversidade

Cadê as salamandras? Uma história do mapeamento de biodiversidade

Cadê? Esta é uma pergunta que todos nós fazemos quase todos os dias. Talvez ao procurar suas chaves, dirigir até uma loja, ou, se você é um biólogo como eu, você pode estar procurando por algum sapo ou inseto estranho. A procura por coisas, reais ou fantásticas, tem ocupado a atenção da humanidade por toda a história, e podemos assumir que muito antes disso. Hoje, encontrar coisas é muito mais fácil que antigamente. Nós temos a internet para nos ajudar a encontrar informações, o Google Continue lendo