Café com Sustentabilidade

Dizem que a história do café começou no século X, um pouco antes de as contagens chegarem no milésimo. O que se diz é que com a expansão e disseminação do Islamismo naquela época, as pessoas sentiram a necessidade de contar suas histórias, ensinamentos e, até mesmo, amenidades e piadas sem graça.

Para isso, precisariam de algo que poderia uni-los nessas conversas. Sim, já existia a cerveja, que até hoje faz muito bem esse papel, mas mulçumanos não poderiam consumir álcool. Na busca de um substituto, encontraram, lá no Norte da África, o café.

Diz a história que ele foi descoberto quando perceberam que tribos locais sempre comentavam que ovelhas ficavam agitadas depois comiam essa pequena fruta chamada localmente Kahve.

O café virou o grande anfitrião: chegando na Europa, os muçulmanos dominaram a Península Ibérica e transmitiram o café. No final do século XV, os portugueses e espanhóis expulsaram os chamados mouros da Península Ibérica, mas não o café. E quando chegaram ao Brasil também trouxeram o danado.

No século X, um pouco depois de as contagens ultrapassarem o milésimo, provavelmente, começou uma das histórias da sustentabilidade. Uma das histórias “provavelmente”, porque não existe nenhum marco regulatório (e nem mesmo consenso). Mas no mundo ocidental, foi no ano de 1079 que criaram a primeira área protegida no mundo — a floresta de New Forest, no interior da Inglaterra (não se engane pela palavra “new”!). Um símbolo do manejo ambiental.

O café rodou o mundo, e com mais de mil anos de história, ainda é motivo para as pessoas se reunirem e conversarem. A sustentabilidade também rodou o mundo, e hoje é motivo para muitas pessoas se reunirem para tomar café.

Daí o nome da coluna: Café com Sustentabilidade.

1 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *