Monitoramento Participativo da Biodiversidade em Unidades de Conservação da Amazônia

O projeto Monitoramento Participativo da Biodiversidade realizou em maio de 2016 a primeira expedição para o Parque Nacional do Cabo Orange. Essa Unidade de Conservação (UC) tem área de 619 mil hectares e se localiza no Amapá.

O Parque protege paisagens da Amazônia compostas por mangues, campos inundáveis, campos limpos entrecortados por buritizais, cerrados, florestas inundáveis (também chamadas várzeas), florestas de terra firme, além de ecossistemas marinhos. Nesta campanha, a equipe realizou o levantamento de mamíferos, aves e borboletas.

O trabalho de monitoramento é realizado em conjunto com as comunidades do entorno. A atividade é desenvolvida de acordo com protocolos estabelecidos com o ICMBio (Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade). O ICMBio é parceiro do IPÊ nessa iniciativa. Ao todo, sete UCs participam do projeto na Amazônia.

Assista ao vídeo gravado pela Laís Fernandes (IPÊ), pesquisadora do projeto, e conheça mais sobre o trabalho que vem sendo desenvolvido:

Monitoramento participativo: a comunidade como protagonista

O Projeto de Monitoramento Participativo da Biodiversidade em Unidades de Conservação da Amazônia é parte da iniciativa para estruturação do Sistema Brasileiro de Monitoramento da Biodiversidade do ICMBio. Desde 2013, o projeto trabalha para implementar monitoramentos participativos da biodiversidade e promover o envolvimento socioambiental. O objetivo é fortalecer a gestão e a conservação da biodiversidade em UCs da Amazônia.

A principal motivação é acompanhar o estado da biodiversidade das UCs e envolver a comunidade local na gestão dessas áreas. Esse processo é fundamental para entender e moderar a extensão de mudanças que possam levar à perda de biodiversidade local. Ele irá também subsidiar o manejo adequado dos recursos naturais e promover a manutenção da cultura das comunidades locais.

O monitoramento vem sendo implementado em sete UCs:

  • Floresta Nacional do Jamari (Rondônia)
  • Parque Nacional do Jaú (Amazonas)
  • Parque Nacional das Montanhas do Tumucumaque (Amapá)
  • Reserva Biológica do Uatumã (Amazonas)
  • Reserva Extrativista do Cazumbá-Iracema (Acre)
  • Reserva Extrativista do Rio Unini (Amazonas)
  • Reserva Extrativista Tapajós-Arapiuns (Pará)

O projeto é financiado pela Fundação Gordon & Betty Moore e pelo
GIZ (Deutsche Gesellschaft für Internationale Zusammenarbeit).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *