Versão Final VALENDO. Ou a (Des)Organização de Dados e Arquivos

A eterna bagunça de nomes, versões e retrabalho que resulta da falta de um método ou sistema compartilhado de organização de dados e arquivos costuma ser a fonte de uma enorme dor de cabeça para grandes e pequenas equipes que colaboram a distância.

Esta é a realidade de praticamente todos aqueles que já fizeram uma dissertação ou tese. Similarmente, isso inclui os estudantes e profissionais que precisam fazer relatórios de projetos e consultorias, além, é claro, de artigos. A situação agrava-se sobretudo quando o produto almejado é um data paper. Nestes casos, têm-se uma equipe com muitos indivíduos geralmente espalhados por grandes distâncias, trabalhando em planilhas e bancos compartilhados com matrizes gigantescas de dados.

Entrevista: Fernando Lima

Teletrabalho

O home office e o co-working são conceitos que vieram para facilitar e acabaram revolucionando a forma como se trabalha no século 21. Com esse advento, entretanto, emergiram certos efeitos colaterais. Dificuldades que antes não existiam, agora são uma realidade na vida de milhões de estudantes e profissionais.

Atualmente, após os desenvolvimentos que deram ensejo ao teletrabalho, o problema não pertence mais ao campo espaço-temporal. As novas dificuldades advém na hora de armazenar e localizar dados, sincronizar versões, e concatenar o trabalho de várias pessoas em um único documento.

Soluções práticas em organização de dados e arquivos

A boa notícia é que muita gente já passou por isso. E, como consequência, soluções direcionadas foram criadas. Eu gravei uma entrevista com o Fernando Lima, pesquisador do IPÊ, na qual ele fala exatamente sobre isso. Ele lida há muito tempo com pesquisas colaborativas. Com isso, viu-se na necessidade de implantar esse tipo de solução nos grupos nos quais trabalha.

Se você já penou com os obstáculos típicos da falta de um sistema de organização de dados e arquivos… Esta entrevista é altamente recomendada para você. O resultado você pode conferir no vídeo contido neste post.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.