Um exemplo do caráter prático do Mestrado Profissional

Um exemplo do caráter prático do Mestrado Profissional

O Mestrado Profissional ESCAS/IPÊ é um programa de pós-graduação com caráter altamente multidisciplinar e prático. As diferenças para os programas acadêmicos tradicionais são várias, e vão muito além do nome. A começar pela seleção, que admite profissionais de todos os campos do conhecimento. A grade de disciplinas é pensada de maneira a proporcionar o senso crítico e a pluralidade de ideias. Exemplos são os Seminários e a Resolução de Desafios. Uma consequência direta disso é a construção de um ambiente focado em soluções. Afinal, a ESCAS Continue lendo

O caminho da felicidade

O caminho da felicidade

Buscar a felicidade é um ponto em comum entre praticamente todos os seres humanos. No entanto, os desafios que cada um está disposto a enfrentar para alcançá-la são muito diferentes. Digo isso porque hoje me deparei com uma história que me fez me perguntar por que demoramos tanto para tomar escolhas de que já sabemos a resposta há muito tempo. Tudo começou com um voo da LATAM que desceu na cidade errada. E após reembarcarmos para o destino, o avião não ligava. Dizem que, na vida, Continue lendo

Engº. Ricardo Gomes fala sobre o produto de seu Mestrado na ESCAS

Engº. Ricardo Gomes fala sobre o produto de seu Mestrado na ESCAS

O engenheiro agrônomo Ricardo Gomes conta por que a metodologia do Mestrado da ESCAS foi importante para os resultados que alcançou. Proveniente do agronegócio — mais especificamente do mercado do cacau — Ricardo cursou o Mestrado na ESCAS no campus de Uruçuca (BA). Mestrado na ESCAS e produto final Ricardo fala ainda sobre o produto final que realizou como parte de sua formação. No Mestrado Profissional ESCAS/IPÊ, o produto final é flexível quanto ao formato. Não é necessário que seja uma dissertação, como nos mestrados acadêmicos tradicionais. O Continue lendo

IPÊ lança o Atlas do Sistema Cantareira: Baixe o PDF

IPÊ lança o Atlas do Sistema Cantareira: Baixe o PDF

O IPÊ – Instituto de Pesquisas Ecológicas acaba de lançar o Atlas do Sistema Cantareira. A publicação sintetiza os resultados de muitos anos da atuação do Instituto na região de influência do Sistema Cantareira. Destaca-se a criação de um banco com informações geoespaciais com mapas de alta resolução sobre o uso do solo, a hidrografia, o relevo e os remanescentes de Mata Atlântica. A produção dos dados e ideias originais do Atlas se desenvolveu no contexto de dois projetos do IPÊ. O Projeto Embaúba: recuperação de áreas degradadas no Continue lendo

Licenciamento Ambiental em Perigo

Licenciamento Ambiental em Perigo

Imagine uma situação onde um grande empreendimento não precisaria se submeter a nenhuma avaliação do poder público sobre o seu futuro local de implantação, as tecnologias que serão utilizadas ou os potenciais impactos ambientais e sociais causados por ele. Nesse caso, bastaria apenas a apresentação de um estudo, contratado pelo empreendedor. Feito isso, estaria automaticamente autorizado o início do processo de implantação. Ou então, poderíamos simplificar ainda mais esse processo. Neste caso, seria possível receber uma licença para implantação do seu empreendimento apenas pelo preenchimento Continue lendo

Agroflorestas como Vetores de Restauração de Ecossistemas

Agroflorestas como Vetores de Restauração de Ecossistemas

Neste vídeo, Tiago Pavan Beltrame mostra como usar agroflorestas para diminuir custos e aumentar receitas em projetos de restauração florestal. Em muitos casos, o custo da restauração convencional pode representar um entrave. E nesta entrevista, Beltrame — engenheiro florestal e professor/orientador no Mestrado Profissional ESCAS/IPÊ — mostra como contornar esse problema por meio do desenvolvimento de sistemas agroflorestais (SAFs) em projetos de restauração. Neste sistema, as agroflorestas geram renda enquanto as espécies nativas passam pelo desenvolvimento inicial, mais demorado. Com isso, minimizam-se os custos da restauração, o que representa Continue lendo

Turismo de Base Comunitária: o IPÊ na Amazônia

Turismo de Base Comunitária: o IPÊ na Amazônia

O IPÊ desenvolve um trabalho de Turismo de Base Comunitária junto a comunidades ribeirinhas nos arredores de Manaus, no Estado do Amazonas. Esta atuação é realizada por meio de projetos na região do Baixo Rio Negro. Os projetos mudaram o relacionamento dos comunitários com os guias turísticos da região. Agora, o papel de cada um desses atores é distribuído de forma justa. Através de um cuidadoso trabalho de formação e capacitação, as comunidades se tornaram autônomas para receber os turistas e oferecer serviços como passeios Continue lendo

Aracuãs, jacutingas e mutuns: os grandes semeadores do Pantanal

Aracuãs, jacutingas e mutuns: os grandes semeadores do Pantanal

“Quem aperta o botão do amanhecer é o aracuã”. Assim o grande poeta pantaneiro Manoel de Barros (1916-2014) imortalizou a curiosa algazarra promovida diariamente pelos aracuãs na alvorada. Os “despertadores” pantaneiros fazem parte da família Cracidae. Este é um grupo aparentado com as galinhas, que ocorre apenas na região Neotropical. No Brasil, a família conta com 24 espécies, mas apenas seis delas podem ser encontradas no Pantanal. São elas: o aracuã (Ortalis canicollis), os jacus (Penelope superciliaris e P. ochrogaster), o mutum (Crax fasciolata), a Continue lendo

Economia e Ecologia em Modelos de Restauração Florestal

Economia e Ecologia em Modelos de Restauração Florestal

Nesta entrevista, o professor do Mestrado Profissional em Conservação da Biodiversidade e Desenvolvimento Sustentável da ESCAS Dr. Oscar Sarcinelli fala sobre estudos de comparação de aspectos econômicos e ecológicos entre diferentes modelos de restauração florestal. Ele comenta sobre como resolver questões chave relacionadas à crise hídrica envolvendo ações no Sistema Cantareira, no Estado de São Paulo. Veja como unir economia e ecologia pode ajudar na tomada de decisão em meio ambiente. Assista: