O Equinócio dos Sabiás: uma obra para ler imediatamente

O equinócio dos sabiás

O que faz com que você decida seguir adiante após ler as linhas iniciais de um livro? A resposta depende muito. Em alguns casos, você simplesmente tem certeza de que irá até o fim. Foi o que eu senti depois das páginas que abrem “O equinócio dos sabiás: aventura científica no seu jardim tropical”, do Prof. Marcos Rodrigues.

Do Grande Sertão de Guimarães Rosa a’Os Sertões de Euclides da Cunha, com direito a um périplo por todos os continentes da Terra: este é o bilhete de viagem que Rodrigues oferece ao leitor.

Arte e Ciência

Sobre uma malha de interpretação ambiental, o autor lhe convida a uma verdadeira expedição literária alinhavada com observação e contemplação; ciência e deslumbramento. Junte a isso a perspicácia de um naturalista e a curiosidade de uma criança, e você tem os ingredientes necessários a uma experiência lúdica e informativa digna do investimento do seu tempo.

O destino da viagem? O jardim mais próximo de você.

“A vida e suas interações estão diante dos nossos olhos. Mas é preciso abri-los.”

Marcos Rodrigues

O ponto de partida da aventura é o jardim da casa do autor — local bastante aprazível que conheci há vários anos, pouco antes de partir para minha primeira saída de campo pelo Laboratório de Ornitologia da UFMG, desde então chefiado por Rodrigues. Naquele dia de outono, Mona Lisa havia escondido um pé de meia em algum lugar do Jardim Tropical, enquanto eu começava minha própria aventura científica, pronto para partir para os afloramentos rochosos da Serra do Cipó.

Nem ela, nem eu suspeitávamos de que estávamos no palco da história deste livro. E talvez seja essa uma das grandes sacadas desta obra: o convite a observar os fenômenos que se desenrolam debaixo de nossos narizes, ou sobre as nossas cabeças. Coisas fantásticas que estão não em algum outro lugar… Mas sim exatamente onde você e eu nos encontramos agora. Não importa onde estejamos.

Um livro para leigos e cientistas

Nesta leitura leve, agradável e instigante, Marcos Rodrigues reúne o olhar treinado do biólogo com a diligência própria do viajante e a sensibilidade de um pintor que busca traduzir a maravilha do que vê não com cores, mas com palavras. Sem preciosismo, mas com a precisão do cientista que se doutorou em Oxford, o autor conseguiu a proeza de tornar acessível aos “cidadãos comuns” uma visão guiada da natureza brasileira. Visão essa que, aliás, fica em geral hermeticamente isolada da sociedade em linguagem quase criptográfica nos artigos científicos, e que Rodrigues conseguiu traduzir de um jeito que cativa o público geral, ao mesmo tempo em que se mantém interessante para o público especializado.

No contexto da literatura sobre história natural brasileira, não será surpresa se a obra vier a se tornar um ponto de referência para as futuras gerações no que diz respeito ao olhar de um naturalista do primeiro quarto do século 21 sobre as paisagens do Brasil, e sobre as teias de relações subjacentes que se descortinam perante os olhos que se abrem para apreciá-las.

Se você gosta de natureza; se gosta de boas histórias; ou das duas coisas ao mesmo tempo, O Equinócio dos Sabiás é um destes livros para ler antes de morrer. E como você provavelmente não sabe o dia da sua morte, o melhor é lê-lo imediatamente.

Título: O equinócio dos sabiás: uma aventura científica no seu jardim tropical
Autor: Marcos Rodrigues
Editora: UFPR
Ano: 2018
Blog oficial: O Equinócio dos sabiás

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.